domingo, 31 de outubro de 2010

Agora é uma Mulher

Para a alegria da maioria e tristeza de uma minoria, Dilma Vana Rousseff agora é a primeira mulher Presidente da República Federativa do Brasil.
Não adianta queixar e não adianta comemorar. Só poderemos criticar esse governo durante ele. A eleição foi feita, mas o governo ainda não assumiu.

Quem vence ou perde a eleição é o povo brasileiro. Não adianta sermos omissos. Não adianta falar política só em época de eleição, é necessário vigiarmos, mantermos informados durante toda a administração pública. Está sendo bom? Onde está falhando? O que está sendo feito? É esse o dever do cidadão. Não é nas urnas que elegemos o melhor ou o pior, é no dia-a-dia.
O Brasil já elegeu um Presidente que achava que seria bom e na verdade não foi. O povo foi lá: "Pede pra sair Collor." É essa a realidade. Temos que nos unir agora. Todos atentos nessa administração independente do seu voto.

Mas o que venho falar agora é outra coisa. Muito me admira uma mulher na Presidência da República. Chegamos lá. Como vai ser? Ninguém sabe, muita gente deduz, mas a realidade por enquanto é já temos um nome.


Foi em 24 de Fevereiro de 1932 que a mulher teve o direito a voto (com algumas restrições) pela primeira vez no Brasil. E tornou obrigatório em 1946.
E a primeira mulher eleita no Brasil para um cargo político foi a Alzira Soriano para prefeita de Lajes, em 1928. (Fonte: Folha Online).

78 anos depois do primeiro voto feminino, hoje o Brasil elege a primeira Presidente da República Federativa do Brasil. É aos 62 anos que Dilma Vana Rousseff, com pouco glamour, mas muita luta, sobe a famosa rampa do nosso País.

Recentemente lutou contra um câncer, lutou contra a oposição, e com certeza vai lutar por cima de todo o preconceito por ser mulher no cargo mais importante do país.
A verdade é essa, amigos, já temos uma nova Presidente, num mesmo Governo. E cabe a cada um de nós, como brasileiros, torcer para que seja feito sempre o melhor para cada um de nós. Que não seja favorecida somente uma classe social, mas que seja feito um tratamento justo para cada um.

Parabéns a Dilma! Agora é com você, Mulher!

Boa sorte a ela e a todos nós.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Amélia que era mulher de verdade?

"Desconstruindo Amélia."
Essa música da Pitty, do seu  último CD "Chiaroscuro", descreve a Ex-Amélia. A volta por cima da mulher que esquecia dela mesma. 

Mulher de verdade é aquela que não esquece do filho, do marido, do trabalho, dos amigos, e principalmente DELA. 

Esse vídeo está numa versão bem cômica. Acredito que vale a pena conferir.

Será que Amélia que era mulher de verdade?



quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Não tenho moeda!

Muito me admira um marmanjo, barbudo e saudável me pedir moeda na rua.
Olha lá se eu tenho filho deste tamanho! E longe de mim "sustentar" homem.

Isso me acontece em plena quinta-feira quando eu já estou esgotada da semana. Todo dia acordando cedo, engolindo sapos, para poder ter meu humilde dinheirinho. E me vem um barbudo e saudável querendo a MINHA moeda. Longe de mim tanta mesquinhez por uma moeda. Mas quem dera se eu recebesse moeda em cada esquina. Assim não precisaria trabalhar, e viveria linda e feliz para sempre!!

To em fase que to pedindo troco na hora de depositar meu dinheirinho na cestinha da missa. Dando o duro danado para um dia poder ficar rica trabalhando (MENTIRA PURA, ninguém fica rico trabalhando para os outros).
Mas vem cá. O cara vem contando lorotas falando que é para o  leite das crianças. Ah  tá que eu acredito. Virei pra ele e disse: "Se fosse pra pinga eu dava."

É fácil vir falar que não tem emprego para todo mundo, quem doa aos pobres empresta a Deus, e tanto blá blá blá e moralismo. Mas eu defendo o trabalho! Todo trabalho é dígno. Há muita gente passa o dia todo  embaixo desse sol de Ribeirão Preto catando papelão e recicláveis para garantir o seu pão de cada dia. Pedir moeda é fácil. Quero ver falar assim: "Troco meu trabalho por uma moeda." 
Isso me fez lembrar um senhor que foi à porta da casa de um amigo oferecendo para cortar a grama da calçada em troca de um prato de comida. Isso pra mim é dígno.
Não sou a favor de esmolas, nem pra adultos e principalmente para crianças. 
Sou a favor de pessoas que de uma forma honesta arruma seu dinheiro para vender algo, ou oferece trabalho em troca.
Acredito que, em raridade, há pedintes honestos. Mas é difícil saber qual. 

Deixando claro que eu tenho muita compaixão por moradores de rua, meu coração dói muito ao ver gente dormindo na rua em dias de chuva, de muito frio. É algo que me comove mesmo. Mas é outra questão, é caso de injustiça social entre outros tantos problemas.

Mas nem sempre pedintes são moradores de rua. Muitos têm casa, força e muita saúde para trabalhar. É desses tipos de pedintes que estou destacando nesse texto.

NÃO TENHO MOEDA, T-I-O!


E tenho dito!

Segura de mim

Afinal é apenas a segurança em mim mesma que vai fazer com que eu percorro o caminho da estrada.
Esse caminho que vou a pé, descalça, sentindo o chão... Aprendi a caminhar sozinha.
Foi com um "NÃO", que eu comecei  viver. Foi abrindo mão de uma prisão segura, de braços que era uma segurança, proteção. Tanta proteção que me sufocou. Aí então, eu disse: "Não". Arrisquei solidão para viver uma liberdade sem fim. Hoje eu estou vivendo pra mim.
Fui embora, para ninguém mais chorar. Sai sem olhar para trás. Só fiquei com as fotos, para eu lembrar que nessa história um dia eu fui feliz, mas que foi preciso ter fim.
Sai por este mundo sem rumo. Sem ao menos conhecer as pessoas. Arrisquei. Dei a cara a tapa, várias vezes. Aprendi muito. Me senti perdida numa cidade grande e desconhecida, sozinha. Pedindo informação a cada parada. Errei o caminho, voltei, andei mais... corri demais... mas aprendi. Muita audácia, eu ainda estou aprendendo. Mas agora mais segura. Já vivi a pior escuridão. Já vivi o pior da solidão. Já quase pirei. Hoje não.
Hoje tudo o que eu faço é persistindo com paciência, força, com sorriso e salto alto. Sem lamentar, tudo é válido, tudo é experiência.
"Ando devagar porque já tive pressa levo esse sorriso porque já chorei demais"

Assim tenho vivido!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

"Os assassinos estão livres, nós não estamos"

É o que diz a música composta pelo saudoso Renato Russo em 1991. Quase vinte anos depois e essa música reflete os tempos de hoje.
É um grande problema social no qual a humanidade toda sofre. Até quando vamos nos esconder dos assassinos? Até aqueles que estão nas penitenciárias estão mais livres que nós aqui fora, comandando crimes de lá de dentro! Não venha dizer que isso não existe.
Somos obrigados a andar por essas ruas, tensos, com medo de alguém possa nos surpreender com assaltos. E nossa realidade ribeirãopretana ainda está livre de tiroteios feito urubus voando como acontecem nas favelas do Rio de Janeiro. Ahhh, o Rio de Janeiro, seria realmente mais que lindo se não fossem esses "urubus".

É gente inocente morrendo pelos culpados. E  muito desses inocentes tornam-se heróis de acordo com a repercussão de cada caso. Vejamos, vou um pouco além, lembram de Barrabás? O bandido escolhido pelo povo judeu para ser libertado em troca de Jesus de Nazaré? Fui muito longe, eu sei. Vou falar dos tempos de hoje...
Vocês lembram-se daquele caso da jovem Eloá Cristina Pimentel da Silva que foi refém por mais de 100 horas e assassinada pelo seu ex-namorado Lindemberg? Pois bem, foi através desse trágico acontecimento que foi descoberto que o pai dessa vítima era um assassino procurado de Alagoas.
Foi necessário uma criança inocente de a classe média ser assassinada de forma triste, jogada pela janela pelo próprio pai, tendo como cúmplice sua madrasta, para despertar o país que muitas crianças são vítimas de violência doméstica. E foi o pequeno João Hélio em 2007, que foi assassinado por bandidos após um assalto, que despertou o país sobre o tamanho da violência em nosso país.
Mas isso acontece todo dia. Todo dia é mulher sendo violentada pelos homens, crianças sendo vítimas de adultos sem escrúpulos, sem coração, sem pudor. Em particular eu digo que a principal causa dessas violências é a falta de crença em Deus. Mas cadê nós, gente de fé, que não evangeliza essa gente?
Quem nos protege? Quem que pune? Além ainda, quem é que faz a prevenção? Quantos sangues inocentes serão necessários para despertar que algo novo tem que fazer?

Não dá para admitir que tenha lei que protege bandido em vésperas de eleição (artigo 236 do Código Eleitoral) de não poder ser preso, excetos crimes hediondos, tortura e tráfico de drogas, mas roubar pode? 
Não dá para admitir que tenha lei que libera os bandidos da cadeia para "visitar" a família em dias festivos.
Não dá para admitir redução de penas. 
E não me venha com discurso de "Direitos Humanos". O cara que matou pai de família, estuprou e violentou mulheres, que matou crianças,  não merecem nenhum tipo de respeito e muito menos "direitos humanos". Direitos Humanos a que? Podem me dizer?

Que saudade de ver as crianças brincando na rua sem perigo. Na minha infância ainda tinha isso, amanhã já não poderei ver meu filho chegar em casa todo sujo das brincadeiras de ruas.

É um grave problema da humanidade, que vem de séculos, e que ainda não há quem resolva, não há quem pune e não há quem previna.
Continuemos, amigos, a andar pelas ruas de nossas cidades tensos...
"Os assassinos estão livres, nós não estamos."

Já tinha dito o Renato Russo!




domingo, 24 de outubro de 2010

Crônica Do Amor, por Arnaldo Jabor


Resolvi colocar esta crônica de Jabor porque um comentário do post anterior me fez lembrar dessas palavras. Acho magnífico. Faz tempo que li esse texto e parece que Jabor conhecia toda a minha história e resolveu escrever para mim. Mais uma vez ele arrasando, conferem amigos, tenho certeza que vão gostar. (Cris Paulino)




Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.




Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.




Não funciona assim. 

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.


 

sábado, 23 de outubro de 2010

O Homem Ideal

Difícil falar do universo masculino sem ser feminista e principalmente querer entrar no íntimo desse universo tão misterioso.
Acredito que todas as mulheres enquanto estão sendo cortejadas por um homem ficam com a seguinte dúvida: "Será que é verdade?"
Nunca sabemos de imediato, porque uma das maiores especialidades masculinas é a mentira. Mentir para conquistar, mentir por uma noite, mentir por insegurança, mentir para se satisfazer, mentir por extinto. Afinal por que mentem tanto? Vixe, já imagino o quanto de homens "não mentirosos" estão me xingando agora. A verdade é: Homem que nunca mentiu para ter uma mulher um dia vai mentir.
Mas lógico que não é uma regra. Homens também são sinceros nos seus sentimentos. Quando o homem se interessa verdadeiramente por uma mulher é muito visível. O homem interessado na maioria das vezes em pequenos detalhes demonstra, até mesmo sem perceber. Muitos demonstram demasiadamente, outros bem pouco.

Sinais de interesse: 
- Amigas isso é verdade, amigos não me deixem mentir, mas o primeiro sinal de interesse é a ligação telefônica. Ele liga! Homens, vocês ligam. Perguntam como estamos, como foi o dia. Pequeno detalhe que faz sim, muita diferença;
- O homem quando não é romântico, mas tem certo interesse em conquistar, mesmo sendo uma mensagem copiada da agenda da irmã mais nova, ele manda um SMS para enfeitar o seu dia. Mesmo sendo um "bom dia". Manda;
- Outro sinal visível é quando o homem tem muito interesse em conhecer a mulher, pergunta muitas coisas sobre a vida da mulher a ser conquistada, tem interesse em saber sua vida, seu dia, seus gostos. Atenção garotas, o dia que ele não tiver mais interesse em conhecer você e começar a falar demais dele mesmo é um péssimo sinal;
- Presença! Cuidado com os grudentos, mas o bom conquistador quer ser presente na vida da pessoa a ser conquistada. Mesmo na distância de um jeito ou de outro é sempre possível te ver, de ônibus, de bike, de carro, de táxi, não importa a circunstância, vai marcar presença;
- Mimos! Dos mais simples mesmo, quando aparecer com um bombom para você é sinal que lembrou de você na hora que passou por este bombom. Agradeça e abre um sorriso. (Não vai estragar esse momento falando que ele quer te engordar, por favor);
- Vai sempre atender suas ligações, ou retorná-las assim que ver a ligação perdida. Ele não atenderá o seu celular longe de você, não desligará o celular quando você estiver com ele;
- Ele te apresentará para os amigos, mais que apresentar para os amigos, ele te apresentará para o seu melhor amigo mesmo você estando simples, suada, saindo do trabalho, ele fará questão de dizer: "É ela!
Essa dica é dica de vovó: "Todo bom filho será um bom marido."
Ele será seu companheiro, seu amigo, seu cúmplice, seu protetor.

Posso ter exagerado em muitos detalhes, posso ter faltado com muito deles. Mas meninas, o homem ideal existe. E todos os homens, assim como nós mulheres somos ideias para alguém, mas pra você que talvez tenha muita dúvida sobre isso, só posso falar que cada um de nós tem o nosso momento.

Talvez o homem ideal não esteja em nenhuma dessas dicas, mas será aquele que te respeitará na frente de todos, te tratará bem, te fará sorrir, te fará sentir borboletas na barriga. Te amará com suas celulites, descabelada.

Não te xingará na frente de ninguém, não deixará lágrimas de tristezas caírem, cuidará de você como todo homem cuida com seu extinto protetor. 

O homem ideal existe. Mas antes de encontrar esse homem ideal, seja VOCÊ a pessoa ideal. 

E tenho dito!


Leiam também:


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A Mulher Preferida

Mulheres baixas, cabelos curtos, cabelos longos...?


Cintura fina, pernas grossas?

As altas, de cabelos lisos ou cachos que fazem viajar?

O olhar jabuticaba ou limão? Olhar oceano ou doce como o mel?

Das loiras berrantes, delicadas, das morenas charmosas e belas mulatas?

É aquela frequentadora assídua do salão de beleza ou a de aparência simples e natural? 

As de corpo de Top Model, bailarinas de axé, as de curvas acentuadas, as gordinhas?

É que abusa do salto plataforma ou daquela que se equilibra no salto fino?




A despojada de All Star ou a romântica com rasteirinha Nude com flor?

Elegante de terninho e sapato fechado ou aquela de jeans e la foret branca?


As que usam perfume doce ou amadeirado?

As ousadas que usam brincos de argolas do tamanho de um bambolê ou as discretas com uma bolinha de pérola branca?

Unhas esmaltadas de verde ou branco pérola?

As geniosas, as tímidas ou as extravasadas?

As de short curto, vestidos longos?

Decotadas ou reservadas?

Qual é a preferida??

A preferida é aquela que SE AMA.
Aquela que se aceita. Que acredita em si mesma.
Cada mulher tem dentro de si a capacidade de seduzir simplesmente por ser mulher.
É o balançar dos cabelos, a virada do pescoço quando ele passa, é o olhar profundo.
O segredo da sedução está na autoconfiança.
Lembra daquela história de não precisar olhar no espelho pra ter certeza que está linda?
A beleza está nos olhos, na essência que vem do interior, do bom caráter, do sorriso fácil.

É no confundir de propósito, é no mistério deixado no ar.
É o choro sem motivo, é a ansiedade incontrolável...
Ousar, seduzir, encantar, conquistar com ou sem intenção...
E acima de tudo se derreter... a arte de se desmanchar toda entre as borboletas na barriga...
Arrepiar-se de longe, de perto...
É o dom da intuição, o instinto maternal de se doar e se dividir.
Se desdobrar na atenção, na batalha de querer ser mãe, esposa, profissional e mulher desejada.
Querer ser notada, querer ser cortejada, querer ser conquistada, querer... querer... ser querida, ser querida...
Aguentar as dores de um parto e ao mesmo tempo sorrir de alegria ao ver o rosto do sangue do seu sangue e carne da sua carne... 
Ser iludida pelas falsas e verdadeiras promessas de amor, aprender com cada promessa, cometer o mesmo engano, acreditar no hoje, no amanhã, ACREDITAR E PODER! E pode! E consegue.
Do desequilíbrio emocional à fortaleza para se reequilibrar.

A Preferida!










quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Falando como Pedestre

Somos todos pedestres...

Ah como eu amo andar nessa cidade de povo civilizado!!
Mentira, vai. Não amo andar, e nem todo mundo é civilizado assim.

Mas vou citar a grande rivalidade nas ruas: Pedestre x Motorista.

Falando como pedestre não me sinto impressionada por motor e nem por quantidade nenhuma de rodas. Como pedestre posso dizer que fui uma ótima aluna de física. Aprendi a atravessar a rua com muita eficiência usando a lei de: Tempo, Espaço e Velocidade. A prova disso que eu ainda estou viva e inteira vos escrevendo.


Sei que não só eu como pedestre, mas muitos são vítimas, de olhar para o motorista do carro e ele com o dedão bem no nariz. Poxa gente. O que faz todo motorista colocar o dedo no nariz? Será que acha que só porque está sozinho no carro (ou não) ninguém vai olhar? É nojento. Motoristas, se policiem!

A lá, ele lá todo folgadão em cima de suas 4 rodas se achando o dono da calçada. Estaciona bem rapidinho no caminho dos pedestres só para esperar alguém descer ou subir do carro. Só ele que está com pressa e por isso não acha conveniente encontrar uma vaga para isso. Ele tem muito mais pressa do que eu que estou em cima de um par de sandálias de salto fino tendo que andar depressa e desviar do indivíduo folgadão e correr o risco de perder uma parte do meu corpo passando pela beirada da sarjeta enquanto os carros passam desesperadamente na rua. 


Isso quando os ilustríssimos motoristas que saem daqueles estacionamentos de comércio que ocupam parte da calçada, que por lei, tem um espaço adequado a ser cumprido, não fazem nem questão de saber se tem pedestre passando atrás. Querem sair de todo jeito. Lembrando que as 4 rodas e motor não são tão potentes quando a nossas pernas, por isso que nós pedestres temos a compaixão de deixar o carro sair primeiro. 

Sabe qual é o meu sonho como pedestre? É passar de salto fino sobre os carros que param no sinal vermelho em cima da faixa de pedestre. Ahhhh seria tão bom e tão vingativo. 

Têm sempre os motoristas engraçadinhos (em particular o motoqueiros), que aceleram os seus veículos enquanto o pedestre está todo feliz atravessando na faixa de pedestre no sinal fechado, só pra ver o coitado correr que nem louco com o coração disparado e saltando pela boca. 

Delícia mesmo é quando o pedestre está todo tranquilo atravessando a rua, e o motorista vira "do nada" a esquina e o coitado do pedestre pensa rápido: "Corro, volto ou fico parado?". Ser pedestre é ser sobrevivente! Será que os motoristas não aprenderam que seta serve pra avisar com ANTECEDÊNCIA que vai virar, e não pra avisar que "ESTOU VIRANDO"? 

Sei que muitos pedestres também não colaboram, por exemplo, querendo atravessar em locais não sinalizados e com pouca segurança. Talvez por não terem a educação correta ou porque, talvez, não tem mesmo naquele local um lugar seguro para atravessar e acabam correndo riscos. 

Será que custa tão caro o bom senso e a boa educação?





terça-feira, 12 de outubro de 2010

As Crianças do Bairro


Olá amigos, hoje estou aqui para divulgar as crianças do bairro, no complexo Vila Virgínia, bairro onde passei a maior parte da minha infância e minha adolescência.
De manhã estive presente na festa organizada pelos Filhos Da Caridade Canossianos (FDCC) juntamente com a comunidade da Paróquia Sagrada Família. Todos os anos eles organizam festas para as crianças, tanto no Dia das Crianças, como no Natal e Carnaval. Foi com eles que passei minha adolescência, e aprendi muito a vivência do carisma no qual eles vivem, o carisma Canossiano. Então gostaria de divulgar esse trabalho, no qual, eles têm muito amor e dedicação.


Padre João FDCC, com sua alegria contagiante, ele comanda a Paróquia com muito bom humor,e humildade e muito amor.
Este é o Breno Victor, tem 8 anos de idade, adora andar de bicicleta e tem paixão em jogar  vídeo-game.
Essas graças são: Gisele (12), Daniela (9), Maisa (4) e Pedro (8), segurando os brinquedos que ganharam da festa.

Esse é o Ir. Paulo, um dos organizadores da festa. Ele também faz parte dos FDCC. Em particular um grande amigo meu de muitos anos.
Esse é o Felipe, uma das minhas alegrias da Comunidade, tive a imensa alegria de acompanhar a sua adolescência. Hoje tem 15 anos.Conhecido como Tio Phil. Seu humor é muito contagiante.
Esta é a pequena Graziela com seus 3 aninhos, comendo seu lanchinho, com sua singela timidez, disse que adora brincar de boneca. 
Bruna 2 anos e seu olhar lindo inocente...
Aproveitando os brinquedos da festa: Fernanda (6), Bruna (7) e Bruno (11).
Mariana 1 ano e 7 meses... Uma bonequinha, vontade de apertar...
Maria Clara (4) e seu irmão Pedro Henrique (2). Eles são tão unidos que dá até gosto de ver.

As colaboradoras da festa, mulheres dedicadas, cheias de amor no que fazem, são as meninas dos olhos da comunidade: Terezinha, Lilian, Olívia, Vera Lúcia e Celina.

Essas também são as menininhas dos olhos da comunidade, ajudam pelos bastidores da festa, ficam na cozinha ajudando e preparando as guloseimas da festa. Nossa gratidão e nosso carinho para: Vera, Sônia, Isabel, D. Olímpia e Lúcia.

Eles já cresceram um pouco, mas também ajudam olhando os menores, os adolescentes da comunidade.






















Maturidade

Em pleno dia das crianças, na madrugada pra ser exata, estou aqui em meio a palavras, pensamentos e audácias, para expressar o que não me faz mais sentir criança... 


Hoje aos 20 e poucos anos já não tenho pressa de mais nada, tudo eu espero em Deus, tempo ao tempo, sem pressa e na mais calmaria da paciência.
 
Hoje posso dizer que estou conquistando uma maturidade emocional, minha independência emocional. Não nasci grudada em ninguém. Por que ter a necessidade de ter alguém para ter segurança emocional?  

Estou aprendendo a ser feliz me amando e dando motivos para que me amem também. Não dá mais para ficar sentada no banco da praça esperando alguém passar e começar a me amar com meu sorriso. Não dá mais para ficar sentada no banco da praça e pronto!

Hoje tenho que trabalhar muito para conquistar o meu ideal. Hoje já não me preocupo se o professor vai faltar à aula, hoje me preocupo se vou conseguir concluir meu trabalho com êxito.
Já não passa mais na minha cabeça se enquanto estou passando estou sendo olhada, observada, e sim, se o olhar em meus olhos está sendo sincero.

Hoje não quero mais só ficar sentada na cadeira da sala de aula aprendendo, hoje quero estar à frente ensinando e ao lado em pé aprendendo. 

Quero escutar cada palavra, absorver tudo o que for necessário, e assim depois, começar a falar.

Hoje não quero só saber se meu candidato ganhou uma eleição. Hoje tenho sede em saber se todos os planos estão sendo cumpridos. 

Já não quero saber se a praça é um bom local para paquerar. Hoje quero saber se naquela praça poderei caminhar com meus filhos tranquilamente.

Minhas músicas preferidas são de cantores mais maduros, meus livros prediletos são de pessoas que batalharam.

Não leio mais revistas para fazer testes e nem recortes, agora me interessa muito as reportagens. Abandonei a página de fofocas e modelos.

Quero ter motivos, quero ser o motivo...

Quero andar descalça sentir o calor do asfalto e o frio do piso. Quero sentir...

Quero continuar sorrindo quando algo repetitivo na vida acontece e eu já estou pronta para não cometer novamente os erros.

Quero aprender mais, quero me amar mais, quero dar mais de mim. Quero oferecer aquilo que você busca.

Não quero ser melhor que ninguém, mas quero ser o melhor para alguém.
E assim... Tenho vivido!! 

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Apurando os eleitores

Eu chego em casa no domingo à noite e vou logo abrir as páginas das notícias sobre as apurações dos votos. Peço aos meus amigos do twitter que me arrumem logo uma caixa de lápis de cor de uma marca famosa para me colorirem, porque fiquei bege.
Não que eu tenha ficado surpresa com os resultados, mas toda pessoa com esperança, como eu, acreditava  em outros resultados.
Aí comecei a desabafar. Não apoio nenhum partido especificamente, mas sim, o ideal de um candidato, que nem sempre é de total harmonia com seu partido, por esse motivo que alguns até mudam de partido.
Mas o que mais me chamou a atenção é que o resultado dessa eleição não teve novidade. Sim, eu esperava um pouco mais. Eu esperava sair da mesmice.

Não quero levantar a bandeira de ninguém, mas quero deixar uma observação a respeito do Estado em que moro que elegeu um governador que não é novidade. 
Já temos esse sistema aqui no Estado há 16 anos, no qual é bom em muitas coisas, mas deixa a desejar em outras. Por isso eu acreditava que esse sistema teria que mudar, o povo deveria dar chances a outros ideais para que sejam feitas melhorias em outro setor, como por exemplo, a Educação. 

Um dos meus pontos de vista sobre democracia é que o sistema administrativo de um Estado não precisa ser exercido por um único partido. Como é democracia, todos os ideais de interesse da população deveriam ser colocados em prática.

Da mesma forma que o candidato (Prefeito, Governadores, Presidentes) que ganhou a campanha por duas vezes consecutivas não pode se candidatar pela terceira vez consecutiva, poderia ter a lei que impedisse um mesmo partido (um mesmo ideal) a ser eleito também por mais de duas vezes seguidas. Pode parecer viagem minha. Mas também é democracia. Deixar que as outras propostas, que faltou no governo anterior, ser colocadas em práticas pelo outro governo. Isso é pensar no bem da população. 
O que falta em um partido, o outro completa. Esse é o motivo da disputa. Para mim, ganha o partido que pensa no bem comum de todos nós. E todos os partidos têm como o objetivo a melhoria de cada um de nós, pelo menos na teoria. Mas todos com ideais e sistemas diferentes.

Investir em Educação não é dar presentinhos como cadernos, bolsas e outros materiais. Isso não é investimento, é apenas uma obrigação, apenas o retorno de um imposto que pagamos. 
De que adianta um aluno ganhar cadernos, lápis, canetas, bolsas e tudo mais se não sabem o que estão escrevendo? Todos sabem, ou pelo menos imaginam, como é precária a situação dos alunos que vivem a progressão continuada. Muitos passam para o outro ano letivo sem saber nada. Eu peguei a fase da progressão continuada e esse sistema de Educação NESSES 16 ANOS deixa muito a desejar.
Investir em Educação é dar uma infraestrutura dígna aos alunos, formação permanente aos professores e salário justo a eles. É diminuir o número de alunos por sala de aula.

Educação é investimento. É investir em futuros cidadãos que irão cuidar da nossa saúde, educar outras crianças, defender o direito e o dever de outros. Enfim, a educação é a base de um futuro melhor para uma nação.

Mas além de cidadã, sou cristã-católica e tenho muita fé, mesmo assim, que algo muito bom possa acontecer nesse "novo" governo.

E outra coisa que mais me indignou é o fato de mais de um milhão de pessoas votarem em um "palhaço" e ainda por cima falar que isso é um voto de protesto. Desculpem o termo, mas voto de protesto é o cara*! Não tem cabimento votar em uma pessoa sem formação nenhuma política, e muito menos educacional. Isso é um desrespeito às pessoas sérias bem formadas, bem intencionadas que querem realmente fazer algo sério para o nosso país. 
Mas talvez o povo não tenha educação nenhuma para poder enxergar isso. Por isso ainda insisto em falar que educar o povo como cidadão com escolas dignas, é formar também, futuros bons governantes para o nosso país. 

Quer protestar? Veste a camisa do seu país (e não to falando em Copa do Mundo de Futebol), faça algo útil que possa melhorar pelo menos sua cidade. 
Nós escolhemos.
E não adianta reclamar depois...

(Sem Revisão)

Leiam também:


sábado, 2 de outubro de 2010

Vontade eu tenho...

Mas cadê a coragem?

Hoje estava cá pensando com meus botões quão seria bom ser corajosa. Andar pelas ruas, cantando bem alto "To The Sea" (Jack Johnson), sair saltitando com o violão. Olhar para cara do vizinho e falar: "A felicidade nem sempre mora ao lado, baby"... Dar aquele beijo estralado na vovozinha que passa pela rua em busca de um pãozinho quentinho da padaria... 
Ainda estive pensando largar alguns princípios na gaveta, sair com um copo de um bom vinho barato pelas ruas falando um pouco de besteiras... 

Dizer para aquela minha colega, que se acha o gás da Coca-Cola, que aquele vestido estampado a deixa muito gorda, e que eu odeio a piriguete que minha amiga conversa. 
Dizer para aquele babaca, que só quer me comer, que esse joguinho de eu ser especial não cola, mas que eu adoro fingir que to sendo conquistada porque é mais gostoso ter certeza que o mais idiota é quem tenta enganar... 

Ah, cadê a coragem de falar para o vendedor que eu conheço todas as estratégias de marketing dele e que eu vou levar o produto porque to precisando?


Tenho muita vontade de ligar para o ex que disse que não eu nunca iria encontrar ninguém igual a ele e falar que ERA ESSA A INTENÇÃO.

Quer saber? Falta-me coragem de sair da festa carregando os sapatos na mão e esquecer a velha frase da minha mãe "nunca desça do salto."

A coragem me falta quando quero mandar a tia à merda que sempre me pergunta quando vou arrumar um namorado.

Como gostaria de falar o quanto eu o amava.... Ouviu? AmaVA.

Vontade de falar para aquele mala que ele deveria ter ficado quieto em vez de contar aquela piada tão sem graça.

E aquelas juras falsas de amor? Vontade não falta mesmo de mandar enfiar toda essa hipocrisia na onde o sol não bate... 

Vontade eu tenho...

Falta-me coragem mesmo...

E o que mais tem vontade e te falta coragem? Tem audácia em dizer? Eu tenho... e dito...


Ads Inside Post