segunda-feira, 16 de julho de 2012

Livro em branco

Um livro termina e chegou a hora de começar escrever um novo. A pergunta é: começar de onde parou ou inventar uma nova história?
Livro em branco não é tão ruim, é apenas uma oportunidade nova munida de esperança para continuar, recomeçar.
Tem aquele cheiro novo e é tão bom. As folhas que nunca foram folheadas ainda grudam. Mas é meu, a autora sou eu. Está na hora de escolher os personagens e decidir quem vai fazer parte da nova história. Mas é preciso cautela, não posso reescrever os erros, meus leitores são exigentes. 
Vou reprisar os acertos, talvez usar a liberdade para resgatar os personagens antigos que fizeram bem. 
 
É isso, tenho a liberdade de redigir o que eu quiser, é bom e gera responsabilidade demais. Amo desafios.
Estou pronta para começar, à caneta, sem rasuras e com muito frio na barriga. Haverá espaço para ditados, é preciso ouvir mais e escrever os conselhos. Terá figuras para colorir, quero que os leitores escolham as cores das imagens para eu não escrever sozinha essa história.
E posso adiantar: terá muitos personagens, terá muita emoção e ninguém fará "orelhas" e nem rasgarão as páginas. Será ao vivo, sem cortes, sem diretores. Vai ter (re)começo, vai ter meio e não terá fim.


E assim eu ditarei, assim viverei.

Foto: Jekaterina Nikitina


Ads Inside Post