quinta-feira, 28 de julho de 2011

Implicância

Do Dicionário da Cris, implicância significa: irritar constantemente com uma pessoa e com suas atitudes. Usar certo período para falar mal de uma pessoa e crer que TUDO que ela faz, fala e age é para te atingir.

No fundo toda implicância há um motivo muito forte que poucos conseguem assumir. Alguns deles eu tive audácia de listar. Vamos conferir:

De mulher para mulher
A mulher é mais gostosa que ela.

De mulher para homem
Paixão não correspondida enrustida.

De homem para mulher
Não conseguiu comer.

De homem para homem
Ele tem um pênis menor que o do outro ou tem um carro pior que o dele. (O que é praticamente a mesma coisa).

De vizinha para vizinha
O marido dela é mais gostoso que o seu.

De vizinho para vizinho
Ele conseguiu reformar a casa.

De namorada para o amigo do namorado
O amigo é solteiro.

De namorada para a amiga do namorado
Ela é mulher.

De namorado para a amiga da namorada
Ela é feia.

De namorado para o amigo da namorada
Ele é gentil e não é gay.

De colega de trabalho para colega de trabalho
Um é mais puxassaco e o outro mais competente.

Se você coube em algum item acima, parabéns, você é normal.

E tenho dito!


terça-feira, 12 de julho de 2011

É disso que estou falando - Parte III

Trocar o som estridente da balada pelo som daquela respiração. O almoço está servido. A bebida está no copo. E no final do dia um doce passeio com cobertura de chocolate. "Pouca cobertura, por favor!"

Um silêncio que tranquiliza, um olhar que conforta e um afago que preenche um vazio que antes era solidão. Mas quando tudo parece completo acaba sendo perfeito com um abraço acolhedor. Momentos e gestos passam ter outros sentidos, outros adjetivos e sinônimos de substantivos. O abstrato tem cheiro, cor, nome e pele.
Meu lar: seus abraços. 
Minha proteção: seu cheiro. 
Minha calma: seu sorriso. 
E o silêncio que fala: seu olhar.

Final do pequeno ciclo. Hora de despedir com saudades. Aquela saudade gostosa que tem gosto da volta. Lembrar durante o trajeto dos bons momentos e rir com aquela solidão que acompanhará por alguns dias. Solidão que não machuca, mas faz amadurecer. Partindo com um órgão a menos, o coração. Viver juntos sem conviver. Estar só, mas em prol de dois. Cuidar-se durante a ausência, olhar minuciosamente os recados e matar a saudade de vez em quando olhando fotografias. É carregar a pessoa no olhar e ter a certeza que nunca estará sozinha.

Pedir que as horas corram para poder escutar aquela risada gostosa e ter o privilégio de rir outra vez das coisas mais bobas e ter de volta o brilho encantado dos momentos simples que fazem o coração bater mais feliz.
É disso que estou falando.
Fim



Término da série: "É disso que estou falando".
Para conhecer as outras partes é só clicar abaixo:

Ads Inside Post