quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Um quarto de cem

Quando você tem a impressão de ter vivido mais do que a sua verdadeira idade, significa que você viveu intensamente.
E se você acorda todos os dias com muita sede de cumprir suas metas, significa que você ainda não viveu o suficiente.

Quando a implicância diminui, a rebeldia adormece e a preguiça de discutir vem depois de ver algo que não agradou, significa que você está amadurecendo e que muitas vezes é melhor conviver bem do que conquistar novos inimigos.

A quantidade de amores diminui. A qualidade nos romances aumenta. Mas não significa que você vai saber agir a cada paquera novo. Sempre vai se comportar como adolescente ao receber uma mensagem de "bom dia."

As crianças que você conhecia quando adolescente, hoje são quase adultos. Você se enxerga neles, eles se espelham em você.

Ainda gosta de sair nas noites da cidade. Trocou a vódka pelo uísque. Trocou as baladas universitárias pelos bares boêmios. E às três horas da manhã sua cama está super confortável.

Ainda não tem trinta. A idade não assusta (ainda). Ficar só dá alívio. 

Um quarto de cem ainda dá asas à imaginação e te deixa livre para escolher aonde ir. Livre para dormir cedo na sexta-feira à noite, livre para ver o dia amanhecendo com os amigos... 

Nem tão adulta, nem tão adolescente... Essa sou eu nas vésperas do meu um quarto de cem.

E tenho vivido.


Ads Inside Post