segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Apurando os eleitores

Eu chego em casa no domingo à noite e vou logo abrir as páginas das notícias sobre as apurações dos votos. Peço aos meus amigos do twitter que me arrumem logo uma caixa de lápis de cor de uma marca famosa para me colorirem, porque fiquei bege.
Não que eu tenha ficado surpresa com os resultados, mas toda pessoa com esperança, como eu, acreditava  em outros resultados.
Aí comecei a desabafar. Não apoio nenhum partido especificamente, mas sim, o ideal de um candidato, que nem sempre é de total harmonia com seu partido, por esse motivo que alguns até mudam de partido.
Mas o que mais me chamou a atenção é que o resultado dessa eleição não teve novidade. Sim, eu esperava um pouco mais. Eu esperava sair da mesmice.

Não quero levantar a bandeira de ninguém, mas quero deixar uma observação a respeito do Estado em que moro que elegeu um governador que não é novidade. 
Já temos esse sistema aqui no Estado há 16 anos, no qual é bom em muitas coisas, mas deixa a desejar em outras. Por isso eu acreditava que esse sistema teria que mudar, o povo deveria dar chances a outros ideais para que sejam feitas melhorias em outro setor, como por exemplo, a Educação. 

Um dos meus pontos de vista sobre democracia é que o sistema administrativo de um Estado não precisa ser exercido por um único partido. Como é democracia, todos os ideais de interesse da população deveriam ser colocados em prática.

Da mesma forma que o candidato (Prefeito, Governadores, Presidentes) que ganhou a campanha por duas vezes consecutivas não pode se candidatar pela terceira vez consecutiva, poderia ter a lei que impedisse um mesmo partido (um mesmo ideal) a ser eleito também por mais de duas vezes seguidas. Pode parecer viagem minha. Mas também é democracia. Deixar que as outras propostas, que faltou no governo anterior, ser colocadas em práticas pelo outro governo. Isso é pensar no bem da população. 
O que falta em um partido, o outro completa. Esse é o motivo da disputa. Para mim, ganha o partido que pensa no bem comum de todos nós. E todos os partidos têm como o objetivo a melhoria de cada um de nós, pelo menos na teoria. Mas todos com ideais e sistemas diferentes.

Investir em Educação não é dar presentinhos como cadernos, bolsas e outros materiais. Isso não é investimento, é apenas uma obrigação, apenas o retorno de um imposto que pagamos. 
De que adianta um aluno ganhar cadernos, lápis, canetas, bolsas e tudo mais se não sabem o que estão escrevendo? Todos sabem, ou pelo menos imaginam, como é precária a situação dos alunos que vivem a progressão continuada. Muitos passam para o outro ano letivo sem saber nada. Eu peguei a fase da progressão continuada e esse sistema de Educação NESSES 16 ANOS deixa muito a desejar.
Investir em Educação é dar uma infraestrutura dígna aos alunos, formação permanente aos professores e salário justo a eles. É diminuir o número de alunos por sala de aula.

Educação é investimento. É investir em futuros cidadãos que irão cuidar da nossa saúde, educar outras crianças, defender o direito e o dever de outros. Enfim, a educação é a base de um futuro melhor para uma nação.

Mas além de cidadã, sou cristã-católica e tenho muita fé, mesmo assim, que algo muito bom possa acontecer nesse "novo" governo.

E outra coisa que mais me indignou é o fato de mais de um milhão de pessoas votarem em um "palhaço" e ainda por cima falar que isso é um voto de protesto. Desculpem o termo, mas voto de protesto é o cara*! Não tem cabimento votar em uma pessoa sem formação nenhuma política, e muito menos educacional. Isso é um desrespeito às pessoas sérias bem formadas, bem intencionadas que querem realmente fazer algo sério para o nosso país. 
Mas talvez o povo não tenha educação nenhuma para poder enxergar isso. Por isso ainda insisto em falar que educar o povo como cidadão com escolas dignas, é formar também, futuros bons governantes para o nosso país. 

Quer protestar? Veste a camisa do seu país (e não to falando em Copa do Mundo de Futebol), faça algo útil que possa melhorar pelo menos sua cidade. 
Nós escolhemos.
E não adianta reclamar depois...

(Sem Revisão)

Leiam também:


2 comentários:

Shirley disse...

Com certeza Cris não adianta reclamar depois, como um país elege um palhaço? falta de respeito por si próprio e pela Nação, mas eu acho que essas pessoas não entenderam que isso aqui é uma Nação, digo e repito triste realidade de um povo...

Juliana disse...

Eu concordo plenamente com vc sobre a educação, mas vc acha que o Tiririca por exemplo sabe que os países de mais sucesso são aqueles que investiram na educação?
É uma bola de neve de gente burra que não vai parar nunca..Gente burra que elege gente burra que só deixa mais as pessoas burras.
O importante agora é torcer para pessoas inteligentes se disfarçarem de babacas/retardados pra ganhar as próximas eleições, pq só assim mesmo.

Ads Inside Post